4210663646.8dd5717.4ed10a068bfa43919b8ef325deeb109f

Crianças (s)em perigo

Já estamos no Laos há uma semana e se não nos temos feito ouvir, é porque as novas não são muito interessantes. Estamos hospedados na casa de uma família que mora no “Bairro do Tédio” e na “Rua do Não Se Passa Nada”. Só hoje é que arriscámos tudo e metemo-nos à boleia até Luang Namtha, a cidade mais próxima, numa estrada em que passa um carro de hora a hora. Por acaso tivemos sorte e saímos do campo para ir dar uma volta à cidade.

Contudo, hoje venho-vos falar destas duas pequenas criaturas, mas grandes personagens. Apresente-vos o Kin e a Pat: dois miúdos de dois anos que não sabem o que significa estar entediado. E aqui não há tablets, nem televisão, ou modernices. Nem brinquedos têm, mas eles vão-se entretendo, literalmente, com qualquer coisa. Uma vez vi-os a correr à volta de casa, todos nus da cintura para baixo e com as calças na cabeça. Eu pensei: “estes miúdos sabem se divertir à brava!”, e até pensei juntar-me a eles, mas achei que a avó da família não ia achar muita piada. Ou então não reparava, porque na verdade estas crianças não são muito vigiadas. Há situações em que eu e a Ana levamos as mãos à cabeça. Pelos nossos cálculos, eles correm perigo de vida pelo menos duas vezes por dia. Mas se calhar nós é que somos uns piegas, habituados ao controlo parental abusivo que vimos na Europa. É o mais provável. Eles são, sem dúvida, bem desenrascados e se houver uma real situação de perigo, o Kin e a Pat safavam-se melhor do que qualquer miúdo europeu.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *