4210663646.8dd5717.4ed10a068bfa43919b8ef325deeb109f

Os melhores frutos do Nepal

Durante o nosso percurso de quatro dias nos Himalaias, além das montanhas, das árvores e dos riachos, tivemos a companhia de muitos e bons amigos. Foram-nos oferecidos pelo melhor do Nepal e fizeram parte desta grande experiência. O primeiro companheiro a ser colhido foi o Lin. Encontrámo-lo logo ao início do percurso, assim que saímos do autocarro. Bastou dizer-se “eu vou por ali” completado por “eu também”, para não nos separarmos mais nos três dias seguintes. Tivemos sorte com o parceiro. Com as mesmas ambições e o nosso ritmo. Cansava-se na mesma altura que nós. Estávamos ali para desfrutar.

A segunda noite foi especial. Quando estávamos a chegar ao Poon Hill, o pico mais alto do percurso, tivemos a sorte de ficar na guest house certa, pernoitada por gente boa.

Na sala de convívio havia uma salamandra construída de forma artesanal, que nos ia aquecendo a conversa. Entre palavras e risadas conhecemos um casal de chilenos, o Max e a Begoña, um casal de franceses, a Aurélia e o Adryan e reencontrámos dois amigos (mais um casal) que conhecemos dias antes em Catmandu. Nesta noite, o frio gélido das montanhas foi incomodado por esta movimentação de calor humano que nos fez ir para a cama com um sorriso no canto da boca.

No outro dia a estrada era nossa.  Fomos todos na mesma direcção. Foi o único dia que o fizemos todos juntos antes da prevista separação. Uns iriam tomar diferentes rotas, outros, como nós, iríamos acabar a jornada.

Mas no entretanto houve mais tempo para um encontro com história representado nas fotografias que vos mostramos. Confesso que não me recordo do seu nome nem do número certo de dias que estava a caminhar, mas transcendia as duas semanas. Disse-nos que estava há muito tempo sozinho e que, em tanto tempo não tinha uma única fotografia dele. Pediu-nos para o fazer, mas com a sua máquina, uma câmara muito antiga, difícil de manusear. Em troca fez o mesmo por nós e prometeu-nos enviar a imagem.

Receboma-la nestes dias. E ao ver esta foto, acreditem, tudo o que vos conto passou-me numa fracção de segundo pelos olhos. Saudades desta gente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *